by Tânia Gori

Você sabe o que significa o número 13?

 

Antes de qualquer coisa, é preciso falar um pouco sobre o significado atribuído ao 13.

O  número é também conhecido como “a dúzia do diabo”, um número de azar por excelência.

Interessante notar que muitos “tabus” escondem algo sagrado, um significado muito mais profundo do que o que acaba se tornando popular. E é assim com o número 13.

13 simbólica e tradicionalmente significa “morte”. Tanto que se diz, “onde há 13, há morte”. O “fim do mundo” começa no 13° capítulo do Apocalipse Bíblico. Por Jesus ser o décimo terceiro junto a seus discípulos e ter morrido (tradicionalmente numa sexta-feira), boa parte da má fama do 13 que persiste nos dias de hoje pode ser considerada bíblica.   Mas de fato, o 13 só se torna um problema onde a morte é encarada como um problema, onde temos a ideia da morte como algo a ser afastado e/ou reprimido. Então é mais do que natural o fato de que a maioria das pessoas tenham uma ideia negativa associada a ele.

A Última Ceia, de Leonardo da Vinci: a face de Jesus é o "ponto de fuga" da pintura, o que enfatiza Jesus como ponto focal na obra.

A Última Ceia, de Leonardo da Vinci: a face de Jesus é o “ponto de fuga” da pintura, o que enfatiza Jesus como ponto focal (o centro) na obra.

Utilizando uma história que nos é familiar, eram 13 pessoas na Última Ceia. Simbolicamente, o 13 seria o centro, o ponto mais importante do círculo, já que ele é que une a todos. Sendo o ponto unificador, é o local simbolicamente ocupado por Cristo, por exemplo. A morte do 13° (Cristo) simboliza, portanto, a força transformadora que por meio do sacrifício de um, possibilita a salvação do todo. Mas a interpretação popular da metáfora distorceu o significado original e o número 13 virou um número de Judas, com conotações nefastas.

E isso, como já é de se esperar, é um tema relativamente comum na mitologia. Por exemplo, na mitologia germânica, o trapaceiro – e décimo terceiro – deus Loki, traiu Baldur, o deus da primavera – uma divindade de justiça e sabedoria, disseminador da boa vontade e da paz, que, esperava-se, iria governar o novo mundo, após uma catástrofe mundial – levando-o, por fim à morte.

Mas, você talvez esteja se perguntando, de onde saiu a ideia de que o número 13 representa morte? É disso que trata o próximo item da nossa lista!

A 13ª Carta do Tarô - A Morte

A 13ª Carta do Tarô – A Morte

A história aqui é longa, e vou tentar resumi-la o máximo possível (omitindo muitos detalhes e maiores explicações, eu sei), já que o objetivo desse post é apenas provocar a curiosidade!

Tudo começa nas antigas sociedades matriarcais, onde o número 13 era sagrado pois representava os 13 meses do ano lunar. Sociedades que se baseavam em calendários lunares (baseados nas fases da lua) –os mais antigos calendários criados – viam o tempo como um fenômeno cíclico, não linear. A natureza funciona em ciclos – nascimento, crescimento, morte; nas estações: verão, outono, inverno, primavera etc. – e as sociedades que utilizavam esses calendários se baseavam nesses ciclos que observavam ao seu redor para entender a vida, a natureza e a “realidade”. Portanto, para esses povos não existia a mesma ideia de “fim” absoluto ou de “morte” como entendemos hoje.

OS 13 meses do Calendário Lunar

Os 13 meses do Calendário Lunar

Assim, voltando ao calendário lunar, no 13° mês o sol “morre”, no solstício de inverno. Nessas sociedades isso não era um problema, já que a morte faz parte de um ciclo, dessa forma, o jovem Sol renasceria no dia seguinte. Mas, diga isso para uma sociedade que entende o tempo de forma linear… 13 = Morte. Quando se concebe o tempo de forma linear, em que se inicia a partir de um ponto e termina em outro, a ideia de “ciclo” ou “renascimento” ou ainda “morte como mudança, recomeço, transformação” é algo inconcebível. Num calendário lunar todos os meses tem 28 dias (uma média dos ciclos lunares) – como o ciclo menstrual feminino -, por isso possuíam uma relação profunda com o feminino. Em Gaélico, por exemplo,  as palavras para “menstruação” e “calendário” são praticamente idênticas: miosach emiosachan. Mas, quando a noção de tempo linear se impõe nas culturas patriarcais, que passam a preferir a constância do Sol do que à instabilidade da Lua, “matar o sol” é um problema. Assim, as culturas que adotam o calendário solar, e o princípio masculino, passam a considerar tudo que se refere aos ciclos lunares e seus calendários como relacionados a mau augúrio, maldição, enfim, desgraça e azar. 13 passa a ser um número ligado a coisas ruins.

Mas esse é só início da má fama do número 13. A História nos dá muito mais eventos ruins que ficaram marcados pelo número 13 e que terminaram por colocá-lo de vez no imaginário popular como um número sinistro.

A Morte de Jacques Demolay na fogueira

Muitos acreditam que esse foi o acontecimento que marcou definitivamente a Sexta-Feira 13 como dia de azar. O que aconteceu nesse dia?

Basicamente foi o dia em que Jacques Demolay, 23° Grão Mestre da Ordem dos Templários, traído pela Igreja e pelo Rei, juntamente com outros companheiros seus, foi capturado e levado a masmorra, por ordem do Rei Filipe, “O Belo”. O porquê disso? Bem, a ideia por trás da Ordem dos Templários era “proteger e guardar as estradas entre Jerusalém e Acre”, defender a Terra Santa, cuidar dos peregrinos,  e era uma ordem que apenas respondia a autoridade da Igreja Católica Romana. Só que os Templários começaram a ficar ricos demais, misteriosos demais, poderosos demais, e bem, tanto o Rei como o Papa Clemente V se sentiram um bocado ameaçados. Assim, criaram uma série de acusações falsas (já que ambos mal tinham ideia do que se passava entre os templários) contra a Ordem, na base da tortura  e fizeram com que alguns de seus membros “confessassem” uma série de crimes e heresias. Durante 7 longos anos Jacques e seus companheiros viveram em condições precárias e sofrendo torturas, enquanto o Rei Filipe ia acompanhando o “processo” das acusações e confiscando todos os bens da ordem. Mesmo após três julgamentos, Jacques Demolay se recusava a denunciar companheiros e revelar locais onde haviam riquezas da Ordem. Como não havia uma confissão dele, forjaram. Assim, em 18 de março de 1314, por desmentir suas confissões forjadas, o Rei Filipe e o Papa Clemente condenaram Jacques e outro cavaleiro, Guy d’Auvergne (que também desmentiu as confissões forjadas), a morrerem queimados.

O mais interessante que um pouco antes de morrer na estaca, Jacques lançou uma maldição contra seus algozes: Rei Filipe, Papa Clemente e o Chefe da guarda e conselheiro real Guilherme de Nogaret (que havia capturado os templários e feito acusações). O que aconteceu? O primeiro a morrer foi o Papa Clemente V, logo em seguida  Guilherme de Nogaret e no dia 27 de novembro de 1314 morreu o rei Filipe IV com seus 46 anos de idade.

Quer saber qual foi a maldição?

Nekan, adonai !!! Chol-begoal!!! Papa Clemente… Cavaleiro Guilherme de Nogaret… Rei Filipe. Intimo-os a comparecer perante ao tribunal de deus dentro de um ano para receberem o justo castigo. Malditos! Malditos! Todos malditos até a décima terceira geração de vossas raças!!!

Fonte : http://inconscientecoletivo.net/sexta-feira-13-e-os-misterios-do-13/#

Desde sempre a gente ouve que o número 13 da sorte ou azar, que o dia 13 é um dia que tem de sair bem atento onde infelizmente usam o termo “As Bruxas estão a solta” e, é muito comum associarmos este número com as antigas superstições ligadas a gato preto, bruxas, maus auspícios e até tragédias.

número 13 sempre teve um significado especial, nas mais diferentes civilizações. Mas, para compreender este número, temos que entender antes o significado do número 12. Muitos mitos, deidades e heróis aparecem na quantidade de 12 (12 profetas, 12 sábios, as 12 tribos de Israel, os 12 signos do zodíaco, as 12 horas, 12 = uma dúzia).

O 12 encerra um sistema completo, coeso e perfeito. O 12 passa a idéia de segurança, de algo que está estruturado, perfeito e inviolável.
O 13, então, significa a ruptura de tudo isso, a transformação (destruição). Após essa mudança, é possível continuar a evolução. O 13, como transformação, passa a idéia do desconhecido e, por isso, ele traz o “medo”.
O número 13 sempre foi temido e evitado. Acreditava-se que até sua simples citação poderia trazer má sorte. Por isso, nos contos de fadas das histórias infantis, o número 13 nunca era dito e era uma grande surpresa abrir a porta que sucedia a porta número 12.
Ninguém sabia o que esperar. Um dragão? O vilão? A bruxa má?
Abrir a porta, após o número 12, significava destruir o que estava perfeito e estar fora de controle.
A superstição de evitar 13 convidados à mesa veio da era cristã, pois transgrediu a perfeição do número 12, eram 13 à mesa, quando Judas traiu Jesus. Daí mais ainda a aversão ao número 13.
Mas, a idéia de não juntar 13 à mesa é mais antiga e remonta à tradição de países nórdicos.
Diz a lenda que um banquete para 12 Deuses, no Valhalla (o paraíso escandinavo), provocou a ira do Deus do Fogo, Lóki, porque ele não tinha sido convidado. Enciumado, ele teria armado uma cilada para o Deus do Sol, Baldur, favorito de Odin, o Deus dos Deuses.
Tanto é que, em alguns países, alguns hotéis e prédios não têm 13º. andar, nem o número 13 em assentos de teatro e plataformas de trem.
Existe até a fobia do número 13, que recebe o nome de Triskaidekaphobia.

Exemplos de Pessoas Nascidas no dia 13

O cantor e compositor Stevie Wonder, Thomas Jefferson (presidente dos Estados Unidos), Gary Gasparov (um dos maiores campeões de xadrez de todos os tempos), L.Ron Hubbard (fundador da Cientologia) e Margaret Thatcher (primeira-ministra da Inglaterra considerada a mulher mais influente do século 20).

Conclusão

É importante explicar que o número 13 não indica o fim, mas sim a Transformação e o Renascimento.
No judaísmo, 13 é a idade da maturidade para os meninos. As pessoas nascidas em um dia 13 são capazes de transformar radicalmente as suas vidas e o ambiente onde vivem.

Sexta-Feira 13

Este dia está associado a evolução de todo ser humano individualmente, mas, para a sociedade, pode representar agitação excessiva. Dia escolhido segundo a cultura popular, a Sexta-feira 13 é conhecida como “o dia do azar” ou de “usar amuleto no bolso”. O treze corresponde a letra hebraica Mem, que representa oRenascimento e a Liberdade. Esta superstição também está associada ao fatídic

o dia em que o rei da França, Filipe o Belo, ordenou prender e matar todos os Templários (homens que se dedicavam a proteger os peregrinos que se dirigiam à Terra Santa) sob a acusação de feitiçaria.
A superstição que envolve a Sexta-feira 13 surgiu com os romanos. Não tinha nada de azarento, mas, com o tempo, alguns fatos ocorridos nesta data, ano após ano, marcaram este dia, transformando a Sexta-feira 13 em um momento onde as pessoas deveriam tomar mais cuidado.
A sexta-feira, por ser o dia de Frigga, a Deusa Bruxa do panteão nórdico, acabou associada à má sorte, pelas culturas cristãs, por isso o termo vindo de uma crença européia que nas “Sextas-feiras 13 as bruxas estão soltas”.
O 13 assumiu um significado negativo, na crença popular. Acabou por ter uma relação com o fim, com a morte.
Segundo o folclorista Luís Câmara Cascudo, no Dicionário do Folclore Brasileiro, o dia 13 é um número fatídico, pressagiador de infelicidades.
A palavra superstição primitivamente significava “vidente ou profeta”. As superstições surgem como explicação para os fatos que desconhecemos.
Quem comemora o aniversário em uma Sexta-feira 13 não deve ficar preocupado, pois o número 13também simboliza o número dos Anjos e da Sorte.
Acredite, a superstição e o azar estão ligados apenas à acomodação e a falta de fé, uma maneira de encontrarmos culpados para os nossos insucessos ou fracassos, muitas vezes resultantes da nossa própria falta de esforço e dedicação. Quando as coisas não acontecem, culpamos o azar. Quando tudo dá certo, aí sim somos “sortudos”.
Infelizmente, o ser humano socializa apenas os seus fracassos. Devemos lembrar que a superstição está ligada à falta de conhecimento, mas quando nos tornamos mais conscientes, nossa forma-pensamento se fortalece.

Fonte : http://vidaespiritualidade.com.br/13-o-numero-magico/

Beijos Encantados

Tânia Gori

Tagged as: , ,

Categorised in: Bate Papo com a Bruxa, Bruxaria Natural filosofia de vida

7 Respostas »

  1. eu nasci dia 13 de fevereiro,e por isso que tenho azar?

  2. Ótimo post!
    Nasci no dia 13 de agosto às 13:50… Sinceramente amo esse número, sou completamente apaixonada por todos os mistérios que o envolvem, considero como sendo meu número da sorte..

  3. Simplesmente fantástico!!!
    Sempre me perguntei por que a por trás do numero 13.
    A explicação é brilhante, pois faz todo sentido.
    Obrigado por ter feito este post.

Deixar uma resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

WordPress.com Logo

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Log Out / Modificar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Log Out / Modificar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Log Out / Modificar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Log Out / Modificar )

Connecting to %s

Esclarecimento Geral ….

Muitos dos textos publicados aqui são de fonte da internet, meio de informação pública e muita coisa é publicada sem informações de Copyright, fonte, autor etc. Caso souberem, por favor, deixe um comentário indicando o ou no texto, ou caso reconheçam algum conteúdo protegido pelas leis de direitos autorais, por favor, avisar para que se possa retirá-lo do blog ou dar-lhe os devidos créditos. Se forem utilizar qualquer texto postado aqui, por favor, deem os devidos créditos aos seus autores. Gratidão! Beijos Encantados Tânia Gori
Seguir

Get every new post delivered to your Inbox.

Junte-se a 5.691 outros seguidores

%d bloggers like this: